PULGAS: Saiba como combater


Introdução

Imagine voltar para sua casa depois de longas férias. Você pega seus animais de estimação no canil, descarrega sua bagagem e encaminha-se para a cama para se recuperar da longa viagem. Mas seu sono é tudo, menos tranqüilo. Durante toda a noite, você é atormentado por minúsculas picadas e coceiras intermináveis. Não demora muito para você compreender que está sendo atacado por uma multidão de pulgas famintas.


O que aconteceu? Seus animais de estimação pegaram uma infestação no canil? Os insetos pegaram uma carona na sua bagagem? Ou uma multidão deles decidiu se mudar enquanto você estava fora?

É uma idéia horripilante, mas a resposta mais provável é que as pulgas estavam esperando por você. As pulgas são parasitas - ou formas de vida que se alimentam de hospedeiros - muitas vezes machucando-os de alguma maneira. As pulgas usam o sangue dos hospedeiros como alimento. Elas geralmente preferem o sangue de animais de quatro patas que o de humanos; por isso, antes de sair de férias, as pulgas se alimentaram de seus animais de estimação, não de você.

Embora as recém-surgidas pulgas precisem encontrar comida em poucos dias, as adultas podem ficar alguns meses sem uma refeição. As pupas das pulgas podem também ficar em seus casulos por mais de um ano, esperando para sentir calor corporal e vibrações que sinalizam a presença de hospedeiros próximos. Então, quando você sair de férias, as pulgas não morrerão de fome - simplesmente esperarão que você e seus animais de estimação retornem.

Quando caminhar para casa depois de estar longe, as pulgas adultas famintas irão se aglomerar em você e em qualquer coisa que tiver pulsação, não importa quantas patas ou pernas tiver. As pupas saem dos casulos e procuram pela primeira refeição de sangue. Sua casa, que parecia limpa e relativamente livre de pulgas quando você saiu, é repentinamente invadida.

A habilidade de viver sem comida é justamente uma das muitas adaptações das pulgas. Estas adaptações facilitam o modo das pulgas se moverem entre os hospedeiros, alimentarem-se de seu sangue, reproduzirem-se e sobreviverem quando a comida é escassa. Neste artigo, veremos como estas adaptações tornaram mais dificultoso acabar com as pulgas. Também exploraremos o ciclo de vida das pulgas e como evitar que as pulgas invadam sua casa e seus animais, bem como a maneira de se livrar de uma infestação.

O ciclo de vida das pulgas

As fêmeas depositam seus ovos, que eclodem e dos quais saem larvas que se parecem com vermes. As larvas se encasulam e transformam-se em pupas. Uma pulga adulta sai do casulo. Numa população de pulgas, aproximadamente metade são ovos e 5% são adultos.

As pulgas fêmeas só colocam os ovos se tiverem uma refeição. Se uma fêmea sai do casulo e não consegue encontrar comida, morrerá sem se reproduzir. Mas se consegue se alimentar, uma pulga pode depositar em torno de 20 ovos por vez, totalizando aproximadamente 500 ovos durante seu tempo de vida.

Na maioria das vezes, a pulga deposita seus ovos no hospedeiro. Estes são completamente lisos, por isso, deslizam do hospedeiro e caem no chão do ambiente. Nas residências, os ovos penetram profundamente nas fibras dos carpetes e nas frestas do chão. Externamente, os ovos das pulgas fixam-se no solo. Os ovos são brancos - as manchas pretas que você vê em animais infestados por pulgas e nas suas camas são partículas de sangue seco e dejetos de pulgas.

Para poder se desenvolver, os ovos das pulgas precisam de um ambiente quente e úmido: uma temperatura de aproximadamente 21º C e de 70% a 85% de umidade. Nestas condições, os ovos eclodem em aproximadamente 12 dias. Esta abertura no 12º dia é uma das razões pelas quais pode ser difícil se livrar das pulgas. Alguns inseticidas matam as pulgas adultas, mas não os ovos. Isso significa que toda uma nova geração de pulgas pode surgir depois que as adultas já morreram.


As larvas das pulgas têm aproximadamente 1,5 mm de comprimento e se parecem com vermes brancos segmentados. Elas evitam a luz e migram para as frestas no chão, onde permanecem para se desenvolverem. Diferentemente de seus pais, as larvas não se alimentam de sangue. Ao invés disso, comem células de pele (em inglês), dejetos de pulgas e outros resíduos. O desenvolvimento das larvas possui três estágios, ou ínstares, nos quais ocorrem trocas de pele.

Após uma semana ou duas, as larvas das pulgas se encasulam. Anexam pedaços de sujeira e restos nos seus casulos para camuflagem. Se a alimentação tiver sido plena, a pulga adulta surge após aproximadamente uma semana. Caso contrário, a pulga pode ficar em seu casulo por mais de um ano.

Embora as larvas e as pulgas adultas tenham padrões de alimentação completamente diferentes, o que comem tem um grande impacto nas doenças que podem trazer. Doenças e complicações surgem com as pulgas a partir de suas picadas.

Livrando-se das pulgas:

Após conhecer como o ciclo reprodutivo das pulgas ocorre, e tendo consciência de que ele é assustadoramente rápido, chegou a hora de saber como quebrar este ciclo e combater as pulgas.

Se a infestação não for combatida logo no início, o problema toma proporções assustadoras. Isso sem contar com as doenças causadas pelas pulgas. Não adianta usar inseticidas comuns. Há pessoas que chegam a intoxicar seu cão ou gato com produtos inadequados, mas as pulgas continuam vivas.

E como um cão que pega uma pulga na rua pode chegar a ter "1 milhão" delas em pouco tempo?

Já vimos que os cães se infestam de pulgas nas ruas, levam-nas para casa e lá elas encontram muitos locais para fazer a desova (postura dos ovos). É importante saber que as pulgas põem seus ovos no ambiente e é este o responsável pelas grandes infestações de pulgas nos animais.

A pulga apenas se alimenta no cão ou gato sugando seu sangue. No ambiente, ela coloca ovos que podem permanecer viáveis por até um ano! Na presença de calor e umidade (nas estações mais quentes, principalmente) esses ovos eclodem e viram larvas que se alimentam de poeira e detritos. As larvas transformam-se em adultos, que atacam os animais em busca de alimento. Assim, o pobre animal é apenas o culpado "indireto" por uma grande infestação de pulgas. Seu erro foi trazer a pulga para casa. O ambiente é o responsável por "produzir" milhares de pulgas que tiram o sossego dos animais de estimação e de seus donos.

Sabendo disso, devemos entender que tratar apenas o animal (cão ou gato) numa grande infestação é um erro. Você vai matar algumas pulgas. A maior quantidade delas está nas frestas do piso, pilhas de papéis, tapetes e carpetes, na forma de ovos, larvas ou pulgas adultas.

Mas como a casa ficou infestada de pulgas e eu não senti nenhuma picada?

A pulga é espécie-específica, ou seja, existem pulgas que atacam humanos e outras que picam animais. A pulga de cães e gatos não vai atacar as pessoas enquanto ela tiver disponível uma fonte de alimento. Assim, quem sofre é o animal. E o processo é tão rápido que quando você observa mais atentamente seu amigão por ele estar se coçando muito, dezenas de pulgas já podem ser vistas, principalmente na região do abdômen (barriga) e em volta do ânus e cauda. Grandes infestações de pulga no ambiente fazem com que elas, na ausência de alimento suficiente, passem a picar também as pessoas da casa.

Resumindo, como as pulgas só atacam os animais, o problema passa desapercebido e, quando é descoberto, já tomou grandes proporções com a infestação do ambiente.

E como eu vou acabar com essa "praga"?

Para avaliarmos a extensão da infestação, faça um teste simples. Dê um banho antipulgas no seu animal e procure certificar-se que foram mortas todas as pulgas. Após secá-lo bem, solte-o na casa, mas não o leve para a rua. Uma hora mais tarde, verifique se o seu cão está com pulgas. Considere:

  • Nenhuma, uma ou duas pulgas foram encontradas: seu cão tinha uma pequena infestação e, provavelmente, pegou num passeio. Neste caso, o ambiente ainda não está infestado.


  • Várias pulgas foram encontradas: sua casa possui um ou mais focos de pulga. O ambiente tem que ser tratado, assim como o cão.

Sabendo agora o nível de infestação do cão e da casa, tomamos as medidas necessárias:

  • Na casa: dedetização, 2 aplicações com intervalos de 15 dias, ou uso semanal, no ambiente, de produtos anti-pulgas da linha veterinária (veja observação no fim do artigo), até acabar com a infestação. No caso de optar por uma empresa que faça a dedetização, procure retirar o animal do local por 48 horas, no mínimo.


  • No cão: banhos anti-pulga semanais e aplicação de produtos anti-pulga tópicos de longa duração (tipo Frontline ou similar) até acabar com a infestação. Veja observação ao fim do artigo sobre isso.

Muito importante:

  • Nunca aplique em seu animal inseticidas comuns, produtos que são utilizados na casa contra insetos e baratas;
  • Filhotes, fêmeas gestantes e gatos não devem ser banhados com produtos inseticidas;
  • CONSULTE O VETERINÁRIO antes de usar qualquer produto anti-pulgas;
  • Banhos anti-pulgas devem ser dados com o cuidado (veja observação ao final do artigo);
  • Animais com ferimentos abertos (feridas ou queimaduras) não devem ser tratados com produtos anti-pulgas tópicos (para passar, banhar ou aspergir).
Afinal, é possível prevenir a infestação por pulgas?

Sim, mas dá trabalho. O controle se faz através das seguintes medidas:

  • Banhos antipulgas frequentes (quando for possível);
  • Uso de produtos anti-pulgas de longa duração em gotas para aplicar topicamente (nem sempre têm bom resultado, veja observações ao final);
  • Trate seus animais e o ambiente ao mesmo tempo;
  • Borrifar ou aspergir periodicamente produtos antipulgas nas casinhas dos cães e no chão onde eles moram. Camas, tapetes ou cobertores de uso dos animais devem ser lavados com sabão em pó e com freqüência;
  • Evitar o uso do carpete em casas que têm animais. Pisos "frios" e bem rejuntados, sem frestas, evitam a proliferação das pulgas;
  • Tosar os animais nas épocas mais quentes, para se controlar melhor as pulgas e facilitar os banhos;
  • Alguns locais, como praças, canteiros e jardins, podem ter focos de pulgas, por serem freqüentados por muitos animais. Se você perceber que o cão volta se coçando dos passeios, evite esses locais.
  • Para quem está em obras em casa, a areia de construção é o pior foco de infestação de pulgas e carrapatos, e os cachorros adoram subir nos montes de areia. Tente evitar.
  • Corte sua grama regularmente.
  • Evite que animais estranhos entrem em seu pátio.
  • Outra forma eficaz é a aplicação da “vassoura de fogo” no chão, estrados e canis.

Considerações finais:

Sempre que seu animal tiver uma infestação de pulgas, você deve consultar o seu veterinário para que ele prescreva um vermífugo. As pulgas podem transmitir vermes e causar anemia, além de perturbar e até mudar, temporariamente, o comportamento do seu animal, que vai ficar mais irritado, impaciente e exausto de tanto se coçar. Alguns cães chegam até a se mutilar, causando ferimentos graves pela coceira, além das graves doenças.

Não espere seu cão ter pulgas, comece a combatê-las desde já!



OBSERVAÇÕES IMPORTANTÍSSIMAS:

1) PREPARAÇÃO DO BANHO ANTI-PULGAS PARA CACHORROS (Não use em gatos):

Recomendamos usar Ibatox (Amitraz 12,5%), que é barato e amplamente difundido. Qualquer pet-shop ou agropecuária tem. Frascos de 40 ou 200ml. Diluir na proporção de 2ml por litro (2ml/l). Para facilitar, faça o seguinte:

  • Compre na farmácia uma seringa pequena, de 5 ou 10ml.
  • Lave bem uma garrafa de refrigerante vazia de 2 litros, encha com água da torneira e guarde a tampa.
  • Abra o frasco do Ibatox e retire com a seringa EXATAMENTE 4ml (quatro mililitros). NÃO USE MAIS DO QUE ISSO!.
  • Esvazie a seringa totalmente dentro da garrafa com água e feche bem a garrafa com a tampa.
  • Lave bem a seringa e guarde junto com o frasco de Ibatox, bem fechado, para usar no futuro.
  • Sacuda muito bem a garrafa, até todo o produto se misturar com a água. Vai ficar de uma cor branco-leitosa.
TOME MUITO CUIDADO AO MANUSEAR O VIDRO DO IBATOX. É VENENO!
Não manuseie dentro de pias onde alimentos serão lavados,
nem deixe entrar em contato com a sua pele.
Ao guardar, deixe fora do alcance de crianças e animais.

Como usar:

Dê um banho normal no cachorro, com shampoo anti-pulgas, como normalmente faria, e enxague. Depois, despeje devagar a garrafa do preparado com Ibatox em todo o pelo, esfregando bem com a mão para penetrar até a pele.

Encharque bem, não esquecendo de passar ao redor do ânus, no rabo e nas patas, que são os locais para onde as pulgas fogem. Não espalhe na cabeça, e tenha muito cuidado para o produto não cair nos olhos, orelhas, nariz e boca. A cabeça não deve entrar neste tratamento, e você deverá fazer depois uam verificação manual para matar as pulgas que eventualmente forem para lá.

Use uma garrafa inteira (2 litros) para cada cachorro. Deixe o produto agir por uns 10 minutos, pelo menos. Depois, enxague novamente e seque o pelo. Em casos de infestação muito grave, seque sem enxaguar e no dia seguinte dê mais um banho normal, enxaguando bem deste vez.

Cuide para o cão não lamber o produto durante o banho.
O mesmo vale para o uso de talcos.
A ingestão destes produtos causa intoxicações graves!


2) PREPARAÇÃO PARA BORRIFAR NO AMBIENTE:

O procedimento para o preparo é o mesmo do usado para o banho, mas a concentração pode ser um pouco maior. Pode ser usado 5ml para 2 litros de água (ou 25ml para um balde de 10 litros, ou 50ml para um balde de 20 litros).

Misture a calda muito bem, tomando as mesmas precauções citadas acima e cuidando para não respingar nos olhos, e borrife dentro das casinhas e no piso onde os cachorros transitam. Para áreas maiores, o melhor é usar um pulverizador manual grande, como esta da foto ao lado.

Retire os cachorros do ambiente antes da pulverização, e não deixe que voltem antes que o piso e as casinhas estejam secos. Repita a pulverização em 12 dias, e depois de novo em 24 dias. Depois destas três aplicações, o ritmo pode ser diminuído para uma vez a cada 45 dias, o que vai evitar novas infestações.

3) TRATAMENTO DE CHOQUE PARA CÃES COM GRAVES INFESTAÇÕES:

Em casos de graves infestações de pulgas e carrapatos, ou em casos onde se torne impossível um banho (inverno rigoroso, chuvas, viagens, etc), pode ser feito um tratamento emergencial e imediato:

01 (um) comprimido de Capstar via oral (57mg para cães grandes, ou 11,4mg para cães pequenos ou gatos)

Isto elimina em questão de horas todas as pulgas e carrapatos adultos do animal, causando um tratamento de choque emergencial, mas não age sobre os ovos, larvas e pupas, ou seja, não é um tratamento completo, tendo efeito muito curto. Mas funciona maravilhosamente bem em casos emergenciais!

4) USO DE FRONTLINE E SIMILARES:

Nossa experiência com Frontline e outros similares tem sido péssima, além do fato de que o custo é altíssimo. Funciona bem no início, mas a duração é muito pequena para o que custa. O melhor tratamento ainda é um banho anti-pulgas, e a utilização de um pente de pulgas para removê-las.

Mas, se você planejar usar este tipo de tratamento tópico para pulgas e carrapatos em seu animal, siga as instruções relativas ao tempo de espera antes e depois para lavar seu bichinho de estimação. Caso contrário, o produto não terá o resultado esperado.

Leia também sobre os carrapatos, e veja como lutar contra esta praga.



Fonte:
Adaptado e expandido de:
"How Stuff Works" - Como funcionam as pulgas (http://ciencia.hsw.uol.com.br/pulga2.htm)
"Webanimal" - Controle de pulgas (http://www.webanimal.com.br)

Bibliografia recomendada:
"How Stuff Works" - Como funcionam as pulgas (http://ciencia.hsw.uol.com.br/pulga.htm)


Curta nossa página no Facebook e receba as atualizações diretamente:
Dicas de cuidados          :          Plantas medicinais        :          Artigos          :        Doenças        :        Adoções        :          Contate-nos
• ©2012www.NossosAmigos.com.br •
Nosso eterno mascote 'Peludo'
Atelier Crisfios